People Analytics: O futuro do RH

Para saber a melhor forma de utilizar e usufruir do potencial desta metodologia, primeiro precisamos entender o contexto em que ela está inserida. Estamos vivenciando um mundo cada dia mais rápido e tecnológico, onde o volume de informações e dados cresce cada vez mais rápido. Atualmente, a humanidade cria por volta de 2.5 quintilhões de dados por dia e a tendência é que este número aumente exponencialmente.

Imagem retirada da Sysorex

A coleta e a retenção de dados se tornou uma enorme ferramenta estratégica para empresas. A partir deles, ficou muito mais fácil identificar e solucionar problemas, traçar estratégias de acordo com o mercado, entre outros. 

Mas o que é People Analytics afinal? People Analytics é, justamente, o uso de ferramentas e métricas para analisar dados relacionados aos funcionários da sua organização.

Coletando dados de fontes internas e externas, o gestor irá armazenar e analisar as informações para obter insumos sobre as pessoas que constituem a organização. Com isso, o gestor consegue entender, quantificar e gerenciar melhor os recursos, e assim melhorar o papel do talento na execução da estratégia e criação de valor.

Além de também permitir que tomem decisões mais precisas em algumas situações chaves, como recrutamentos, treinamentos, avaliações de desempenho, remunerações, entre outros.

Onde aplicar o People Analytics?

O People Analytics é uma metodologia versátil e amplamente aplicável a inúmeras situações. Tudo irá depender do que se busca saber com o uso dela. Alguns exemplos que merecem destaque são:

No recrutamento: Usando a metodologia no recrutamento, pode-se ter uma seleção muito mais estratégica e inteligente. Metrificando, por exemplo, os problemas internos da empresa, pode-se escolher o candidato que mais se adequa para suprimir aquela falha simplesmente por analisar características do perfil de cada candidato.

Diminuindo a taxa de turnover: Metrificando e analisando as características e os estímulos que levam a um desligamento, pode-se identificar o mesmo comportamento em outros profissionais muito antes do desvinculamento efetivo. Tornando, assim, possível a execução de um plano de ação para que isso não chegue a acontecer.

Nível de satisfação interna (eNPS): Assim como medimos o nível de satisfação dos clientes com o produto, também é importante medir o nível de satisfação dos membros da organização com ela mesma. Analisando o porquê dos resultados não positivos, pode-se atacar diretamente algumas dores internas e assim promover um melhor ambiente de trabalho.

Agora que sabemos do que a metodologia se trata e alguns dos seus usos, irei fazer um passo a passo de como implementar People Analytics na sua empresa.

1. Definindo as métricas

Se trata do passo mais importante para o bom funcionamento da análise. Um processo, se bem metrificado, pode significar a diferença entre achar que um funcionário está se sentindo de determinado jeito, para ter certeza que aquele funcionário está se sentindo de determinado jeito.

Uma boa maneira de não ter dúvidas a respeito das métricas a serem estipuladas é de definir objetivos claros. Se perguntar onde a empresa quer chegar, o que medir para alcançar esses objetivos e que valores ou eventos são importantes prever, são perguntas que podem criar uma boa base para o resto do processo.

Alguns indicadores a serem considerados na hora de medir ou prever o engajamento dos funcionários são:

  • Tempo desde a última promoção
  • Número de horas extras
  • Dias de férias usados e quando foram usados
  • Número de pessoas na sala de trabalho

2. Definindo fonte de dados

Depois de criar indicadores para se basear, definir fontes para retirar dados não será difícil. Como a quantidade de dados é necessariamente relacionada a companhia, então a fonte de dados deve derivar de alguma ferramenta ou processo interno, que podem incluir:

  • Software de RH (geralmente apresentando vários dados importantes, como folhas de pagamentos, gestão de faltas, gestão de tempo na empresa, entre outros).
  • Ferramentas de Recrutamento
  • Google Forms/Excel
  • Sistemas de Treinamento

3. Escolher uma ferramenta

Existem diversas plataformas que podem auxiliar o gestor a analisar os dados de uma forma mais precisa e intuitiva. As plataformas variam das mais complexas, com funcionalidades como recrutamento, gestão de performance e gestão de funcionários, às mais simples, como o Excel que, por meio de uma planilha, se faz possível a análise dos dados coletados.

Os dois produtos funcionam muito bem, o que os torna realmente diferentes é a praticidade e agilidade de um comparado ao outro e o que se encaixa melhor na realidade da sua empresa.

4. Armazenar os dados em um só lugar

Imagine ter que ir para inúmeras lojas diferentes espalhadas pela sua cidade para poder pegar todos os itens da sua lista de compras. Você gastaria muito tempo e recursos valiosos só por não existir um lugar só com todos os itens que você precisou.

Trazendo esse problema para a realidade do People Analytics, se não houver um lugar único e estruturado de armazenamento de dados, a sua execução se tornaria muito carapara a empresa pelo simples fato de demandar muito mais tempo e recursos do que deveria. Ter um “armazém de dados” significa garantir uma agilidade muito maior ao se procurar uma informação e garantir que ela não se perca por estar em um “armazém” pouco usado.

Imagem retirada do UnBox

5. Analisar e Executar

Após toda a coleta e armazenamento dos dados, chegou finalmente a hora de utilizá-los em prol da empresa. As informações coletadas tornam-se úteis à medida que identificam problemas e falhas que não se tinham conhecimento anteriormente. Se fazendo possível, portanto, a formulação de um plano de ação para atacar diretamente esse problema.

Para explicar melhor, aqui está um exemplo de execução do passo a passo:

Um gestor decidiu metrificar o quanto os seus funcionários estavam alinhados com os valores da sua empresa. Portanto, decidiu passar um questionário para os seus contribuintes traduzindo os valores da organização em perguntas, respondidas de não me identifico até me identifico bastante. Escolhendoimportar todas as respostas diretamente pro Excel, ele percebeu, analisando-as, que o valor X estava sem muita identidade.

Com isso, ele decidiu traçar um plano de ação para dar mais evidência a esse valor tão vital para a sua empresa.

Conclusão

O People Analytics é uma metodologia bastante versátil que chegou para revolucionar o RH tradicional. Interligando estatística, tecnologia e conhecimento a um grande conjunto de dados, promove decisões mais estratégicas de gerenciamento e negócios para uma organização.

Espero que, após a leitura do texto, você tenha aprendido mais sobre People Analytics, entendendo a importância de cada ponto e como aplicá-los com sucesso na sua empresa. Sinta-se à vontade para perguntar e tirar dúvidas, nós do CITi nos colocamos a disposição para ajudar-los da melhor maneira possível.

Gostou do conteúdo? Quer ficar mais por dentro de assuntos voltados para a sua empresa? Então fica de olho no nosso Blog!

Autor

Victor de Burgos

1 comentário em “People Analytics: O futuro do RH”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *