O Que É, Por Que e Quando Fazer Scrum?

imagem ilustrativa

O que e o Porquê do Scrum

Na indústria de TI, muito se ouve sobre Scrum e Metodologias ágeis. Antigamente, os softwares eram desenvolvidos em processo linear, de forma que cada próxima fase de desenvolvimento só era iniciada quando a anterior era finalizada. Porém, esse modelo, conhecido como “waterfall”, apresentava dificuldades na implementação de mudanças ao projeto, uma vez que ele era finalizado. Além disso, consumia muito tempo.

quadro com post it

Quando uma organização precisa executar um projeto com muitos requisitos e/ou com tecnologias complexas, como é o caso do CITi, tem-se um cenário caótico. A partir desse cenário surge a necessidade de uma metodologia que aumente a produtividade. Que auxilie na comunicação entre equipes auto-organizadas e multifuncionais que trabalham em um ambiente colaborativo.

A partir dessa necessidade surgiram os métodos ágeis, estruturas implementadas aos processos de trabalho, a fim de oferecer uma estratégia de desenvolvimento flexível. Dessa forma, possibilitam a resolução de problemas, respondem a novas necessidades e  oportunidades, de forma a atender às demandas dos clientes, sem perder o foco na melhoria contínua, por meio de uma abordagem interativa.

Existem vários frameworks que seguem os valores de uma metodologia ágil, sendo um deles o Scrum. O Scrum tem como fortes características: transparência  (pessoas em comunicação constante); inspeção (status e requisitos entregues regularmente); e adaptabilidade (mudanças tanto na entrega final quanto no processo em si podem ocorrer dependendo do andamento do processo). Tudo isso feito em colaboração com o cliente através de feedbacks constantes.

Como e Quando Usar Scrum

Existem práticas e papéis fundamentais para que o Scrum ocorra, como podemos observar:

práticas e papéis fundamentais de scrum

Dentro dos papéis, o Product Owner é quem lidera o time. Portanto, decidir quais recursos/funcionalidades serão construídos, bem como suas prioridades, sempre comunicando a equipe e deixando clara a meta.

O Scrum Master será como um coach, facilitando o processo e ajudando todos a abraçar os princípios do Scrum.

Enquanto o Dev Team vai colocar a mão na massa, se auto organizando para atingir a meta estabelecida pelo Product Owner.

Sendo assim, a metodologia Scrum ocorre da seguinte maneira: o Product Owner proverá a visão do produto/entrega, descrevendo o que quer e onde quer chegar. Assim, essa visão é desmembrada em uma lista com todas as funcionalidades necessárias para que o produto exista, chamada Product Backlog. No Product Backlog, as funcionalidades são organizadas por ordem de prioridade (quanto mais valor agregar, maior a prioridade), com auxílio do Scrum Master.

Essas funcionalidades serão então distribuídas em Sprints. A Sprint deve possuir um time-box (limite de tempo),  e é ideal que todas Sprints tenham a mesma duração (geralmente cada Sprint dura de 1 a 4 semanas). Antes de cada sprint, acontece o Sprint Planning, uma reunião onde é criado o Backlog de cada Sprint, de acordo com a capacidade de execução por parte da equipe.

Ao final de cada Sprint, é feito o Sprint Review. Como o próprio nome diz, no Sprint Review é revisado e validado, o Product Backlog é atualizado, e possíveis mudanças podem ocorrer caso o andamento não esteja de acordo com o esperado. Nesse período também é realizada a Retrospectiva, que aponta as necessidades de adaptação do processo, sendo analisado o que foi bom, o que foi ruim e o que pode melhorar nas ações feitas.

Aprenda com mais detalhes como aumentar a produtividade do seu time com Sprints lendo nosso guia rápido.

Além disso, todo dia acontece uma reunião em que cada integrante do time esclarece o que fez desde a última reunião, quais seus próximos passos e se ocorreu algum entrave no processo.

Conclusão

Em resumo, tudo começa com um esboço inicial, que se desdobra em um Product Backlog, que sofre o Grooming  (priorização). Durante o planejamento das Sprints é criado o Sprint Backlog, com a lista de tarefas a serem criadas em cada Sprint, que por sua vez tem um período de tempo fixo. Dentro desse processo, todos os dias ocorre o Daily Scrum . E tendo as Sprints sendo concluídas, tem-se a entrega final:

processo de scrum

Concluindo, metodologia ágil é um termo sob o qual vários frameworks existem, todos seguindo os princípios do Manifesto Ágil. Um deles é o Scrum, um framework simples para gerenciar projetos complexos, que traz benefícios individuais e organizacionais para times como o CITi permitindo maior flexibilidade, espaço para criatividade e inovação, qualidade no produto final, uso eficaz de tempo e dinheiro, além de transparência entre membros da equipe e clientes.

O Scrum pode ser adaptado para a realidade de cada empresa, podendo agregar diferentes cargos e inclusive se encaixar em negócios fora do ramo de tecnologia e inovação. Basta ser criativo! Saiba mais sobre como o CITi lida com projetos, leia nosso case do Spa do Charme.

Autora

Luana Nagai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *